Casa Própria

Com novas taxas de juros propostas pela Caixa Econômica Federal, um dos principais sonhos de todo brasileiro, a casa própria, voltou ser algo tangível. Prova disso, é o presidente da República, Michel Temer, que reuniu com os ministros do Planejamento, Esteves Colnago, da Fazenda, Eduardo Guardia e o presidente do Banco Central – BC, Ilan Goldfajn para certificar que a Caixa aumente suas linhas de crédito na área da construção civil, que necessita de muita mão de obra. Bem como o Banco de Brasília – BRB que anunciou redução de 1% nas suas taxas de juros para parcelamentos imobiliários.

Mas na hora de decidir o melhor investimento, sempre surge a duvida “Qual linha de habitação devo escolher?” Para que não haja mais incerteza, a Revista Imobiliária Alto Padrão selecionou as principais linhas oferecidas pelos bancos:

  1. Imóvel Novo

O imóvel novo é financiado pela Caixa em até 90% do valor total e pode ser pago em até 35 anos. O financiamento ocorre pelo Sistema Financeiro de Habitação, com prestações de no máximo 30% da renda familiar bruta. O uso do FGTS é permitido. Os juros partem de 5% ao ano.

  1. Imóvel Usado

No imóvel usado, as regras são bem parecidas com os novos. O Sistema Financeiro de Habitação financia até 90% do imóvel, os juros partem de 5% ao ano e as prestações devem ser de no máximo 30% da renda familiar bruta. As diferenças estão no tempo de parcela, 30 anos e o FGTS pode ser usado apenas como parte do pagamento do imóvel.

  1. Aquisição de Terreno e Construção

Neste, o imóvel também pode ser financiado 90% pelo Sistema Financeiro de Habitação em até 35 anos, com juros a partir de 5% ao ano e a prestação com limite de 30% da renda familiar bruta. O FGTS pode ser usado. Para famílias com renda mensal de R$3.600,00 existe descontos.

  1. Construção em terreno próprio

A obra em terreno próprio pode ser financiada em até 90% pelo Sistema Financeiro de Habitação em até 35 anos, com juros a partir de 5% ao ano. O FGTS pode ser usado e famílias com rendas de até R$3.600,00 mensais, recebem descontos especiais e a prestação não pode passar de 30% da renda familiar bruta.

  1. Conclusão reforma ou ampliação

Na conclusão da reforma ou ampliação, o imóvel é a garantia do financiamento, que pode ser de até 90% em 30 anos. Os juros partem de 5% ao ano. A prestação também não pode passar de 30% da renda familiar bruta e famílias que recebem até R$3.600,00 recebem descontos especiais.

  1. Segundo Imóvel

O segundo imóvel pode ser adquirido via Sistema Brasileiro de poupança e Empréstimo pela carta de crédito. Não existe limite de renda e o financiamento é de 50% para imóvel comercial e 80% para imóvel residencial, onde  pode ser feito tanto pelo Sistema Financeiro de habitação, como fora.

 

*De acordo com dados fornecidos pela Caixa Econômica Federal                        

 

 

você também pode gostar

Comentários estão fechados.